Conheça serviços que trazem segurança extra para a sua viagem

Coberturas opcionais vão de extravio de bagagem a retorno de menor; cancelamento de viagem é o segundo item com mais ocorrência

Pesquisa realizada com as seguradoras April, Assist-Med, Infinity e Travel Ace indica que 51,5% da abertura de ocorrências no exterior vêm de atendimento médico-hospitalar, seguido de cancelamento de viagem (35%) e compra de medicamentos (2,9%). Outros 10,7% são decorrentes de extravio de bagagem, interrupção de viagem e gastos por demora na devolução de bagagem extraviada.

Na avaliação de Sérgio Frade, autor do livro “Riscos e Seguros”, coberturas de cancelamento e interrupção de viagem também devem merecer atenção do viajante.

Frade viveu uma dessas situações na Itália. Quando estava em Roma, conta ele, “meu pai faleceu no Brasil. Ele tinha 99 anos, passou mal e foi internado às pressas; meus familiares pediram que eu interrompesse a viagem e voltasse. Tive que pagar US$ 4.800 de diferença no bilhete aéreo. Como tinha seguro-viagem com uma boa cobertura para interrupção do roteiro, apresentei o recibo na seguradora e fui reembolsado. É nessa hora que você percebe que o seguro funciona”, observa.

Regresso de menor

“Muitos viajantes estão preocupados com extravio de bagagem e esquecem de outras coberturas mais importantes”, destaca Ana Paula Melo Soares Teixeira, gerente regional da Affinity em Minas Gerais. Além das citadas por Frade, ela aponta a necessidade de um bom limite de cobertura para regresso de menor e idoso acompanhado.

O serviço beneficia o pai ou a mãe que viaja acompanhada de filho pequeno. “Caso o adulto adoeça durante a viagem e tenha contratado o regresso de menor, o seguro paga um acompanhante para retornar com a criança ao país de origem”, explica.

Coberturas não consideradas importantes, como assistência jurídica, podem pesar no bolso em situações inesperadas. Frade lembra do caso de um cliente que se envolveu em acidente de trânsito em Orlando (EUA), situação que o colocou com risco de ser preso. A cobertura de assistência jurídica não só pagou os honorários advocatícios como também a fiança determinada pelo juiz para liberá-lo da prisão.

Idosos e gestantes

Frade também salienta que cada seguradora tem uma maneira de precificar a cobertura de acordo com o risco. Geralmente, as pessoas idosas têm preço agravado em 50% na cobertura, da mesma forma que a maioria das empresas do setor costuma excluir ou aumentar o preço para esportistas profissionais.

Seguradoras como a Affinity, por exemplo, cobrem grávidas até a 34ª semana de gestação, outras, entre 30 a 34 semanas. Acidentes decorrentes de atos terroristas, curiosamente, são excluídos da cobertura de todas as seguradoras.

Cuidado com o limite para a preexistência

Ana Paula Melo Soares Teixeira aponta o atendimento à preexistência – que passou a ser obrigatória no seguro com a nova resolução – como a mudança mais importante na regulamentação da Superintendência de Seguros Privados (Susep).

Entende-se por preexistência as chamadas doenças crônicas ou preexistentes, como, por exemplo, pressão alta, diabete, cardiopatia etc. “O seguro precisa atender 100% o segurado, mas algumas seguradoras definem um percentual de preexistência”, denuncia.

O percentual definido pelas seguradoras é de US$ 100 mil, explica Sérgio Frade, mas algumas limitam o atendimento a US$ 30 mil. “Elas não estão descumprindo a resolução nem deixando de oferecer a cobertura, apenas oferecendo um valor menor. Cabe ao consumidor comparar as coberturas de cada seguradora e definir por aquela com melhor atendimento”, orienta.

Por esse motivo, Ana Paula alerta sobre a importância de o viajante conhecer o produto que está contratando e verificar as condições gerais do contrato.

Cobertura ideal

Bagagem extraviada:
US$ 1.200
Demora na chegada da bagagem:
US$ 200
Despesas odontológicas:
US$ 500
Despesas farmacêuticas:
US$ 500
Traslado de corpos:
US$ 40 mil
Regresso de menor ou idoso acompanhado:
US$ 2.000
Acompanhamento familiar:
US$ 500
Cancelamento de viagem:
US$ 1.000
Interrupção de viagem:
US$ 1.000

Diferença (I)
Cancelamento de viagem
No caso de cancelamento de viagem, o seguro-viagem cobre apenas as despesas geradas, como multas e taxas cobradas pela companhia aérea, multas do hotel ou pousada e outros serviços que o cliente tenha reservado junto ou após a emissão do seguro. O cancelamento deve ser solicitado até 48 horas antes do embarque do segurado.

Diferença (II)
Interrupção de viagem
No caso de interrupção de viagem, o segurado é reembolsado pelas despesas com a compra de passeios, hospedagem e transporte, desde que tenham sido pagos antes do início da viagem. O seguro só pode ser acionado se ele interrompeu a viagem em caso de morte, internação por motivo de acidente ou doença aguda dele ou de familiares próximos.

Fonte: O Tempo

Compartilhar

Comente usando sua conta do Facebook

comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *